terça-feira, 31 de março de 2009

BANDIDOS COM FUZIS E POLICIAIS COM CARABINAS!


REDE DE CORRUPÇÃO ( lesar os cofres públicos dá cadeia ) justiça tardou mas não falhou!

Já estão na cadeia o ex-secretário de Administração e a ex-integrante da comissão de licitação de APERIBÉ. Mas ex-prefeito de Aperibé, Paulo Fernando Dias, o Foguetinho (PMDB) está foragido. No ano passado o ex-prefeito do PMDB teve seus bens bloqueados por determinação da justiça por improbidade administrativa e enriquecimento ilícito. Foguetinho teria movimentado em 15 meses quase um R$ 1 milhão em sua conta pessoal. Ele ainda seria dono de pelo menos cinco carros de luxo, entre eles uma picape Hilux. A situação do ex-prefeito se complicou ainda mais com a deflagração da Operação Uniforme Fantasma.

segunda-feira, 30 de março de 2009

COTIDIANO DO POLICIAL - CENAS FORTES

Por conta do tipo de trabalho, a exposição ao risco, à tensão e o salário baixo que recebe, um policial tem de três a quatro vezes mais chances de desenvolver um quadro de depressão ou estresse do que os trabalhadores em geral.


Traficantes da Rocinha invadiram a comunidade Ladeira dos Tabajaras e causaram pânico a moradores de quatro bairros da zona sul do Rio.

FOTOS FORTES NA LADEIRA DOS TABAJARAS EM COPACABANA!

DESACONSELHÁVEL PARA OS MAIS TENSOS!

Clique abaixo.

http://farm4.static.flickr.com/3577/3397757333_16fb9316bc_o.jpg

http://farm4.static.flickr.com/3569/3397757655_1633c209fd_o.jpg

fotos: Ex blog do César Maia

domingo, 29 de março de 2009

DENÚNCIA DE FRAUDE CONTRA O PRONASCI

A Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro começa a apurar nesta segunda-feira se as denúncias de que policiais militares estariam fraudando os cursos do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci), do governo federal, para receber a bolsa mensal de R$ 400 são procedentes. A suposta ilegalidade foi apontada pelo jornal Folha de S. Paulo neste sábado.

Conforme a reportagem, os policiais estariam recebendo o benefício sem fazer os cursos de qualificação exigidos. Como as aulas são à distância, através de computadores, alguns PMs pagariam colegas para realizar as atividades obrigatórias em seu lugar.

De acordo com a assessoria de imprensa da secretaria, somente se comprovada a veracidade da denúncia o órgão abrirá qualquer tipo de procedimento interno para descobrir quais policiais estariam cometendo a fraude, considerada grave pelo estatuto da instituição.

Caso a fraude seja confirmada e seus responsáveis identificados, a secretaria vai instaurar procedimento administrativo para fixar uma pena aos policiais envolvidos. Na manhã deste domingo, a assessoria de imprensa não soube informar se a penalidade para este tipo de fraude prevê a expulsão da corporação.

Como funcionaria o esquema

Como a inscrição no programa é efetuada via Ministério da Justiça, o policial repassaria a senha ao colega (este realmente faz o curso) e passa a receber uma bolsa de R$ 4,8 mil por ano. Em troca, de acordo com a Folha de S. Paulo, o aluno de fato fica com o primeiro dos 12 meses de pagamento recebidos pelo policial que falta às aulas.

Segundo depoimentos de três policiais que confirmaram a fraude à reportagem, o colega que faz curso recebe entre R$ 100 ou R$ 200, dependendo da amizade.Com isso, um mesmo policial militar pode fazer as aulas para vários colegas e complementar a sua renda.


Folha de São Paulo

sábado, 28 de março de 2009

HORA DO PLANETA ACONTECE HOJE! AS LUZES DEVEM SER APAGADAS DAS 20:30 ÀS 21:30

Neste sábado, os principais cartões-postais de São Paulo e do Rio ficarão com as luzes apagadas por uma hora para chamar a atenção contra o aquecimento global. A ação, intitulada Hora do Planeta, é promovida pela ONG (organização não governamental) WWF e acontece em diferentes cidades em todo o mundo.

As luzes devem permanecer apagadas das 20h30 às 21h30.

Em São Paulo : As atrações que ficarão apagadas neste sábado são a ponte Octavio Frias de Oliveira, o Monumento às Bandeiras, o viaduto do Chá, o Teatro Municipal, os estádios do Pacaembu e do Morumbi, o Obeslico e o Parque do Ibirapuera.

Aqui no Rio: serão desligadas as luzes do Cristo Redentor, do Pão de Açúcar, do Parque do Flamengo e da orla de Copacabana.

Participam ainda, entre outros, o Palácio do Planalto e o Palácio do Itamaraty, a Esplanada dos Ministérios e a Catedral, em Brasília.

A Hora do Planeta conhecida internacionalmente como 'Earth Hour' foi lançada em 2007 em Sidney, na Austrália. No ano passado, 371 cidades de 35 países participaram. Neste ano, pelo menos 2.848 cidades se inscreveram na iniciativa, de acordo com a ONG. Este é o primeiro ano em que o Brasil participa do ato. A expectativa é que a campanha atinja neste ano um bilhão de pessoas no mundo.

TRÁFICO ORDENA LUTO FORÇADO NO RIO COMPRIDO

APÓS A MORTE DE CARLOS EDUARDO JUSTINO DE AQUINO, QUE FOI BALEADO E MORTO POR POLICIAIS CIVIS DURANTE OPERAÇÃO NO MORRO DO TURANO, BANDIDOS ORDENARAM LUTO FORÇADO AOS COMERCIANTES DA ÁREA.
A POLÍCIA GARANTIU A SAÍDA DOS ALUNOS DA UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ, QUE SUSPENDEU AS AULAS POR VOLTA DAS 19:20.
DURANTE A OPERAÇÃO DA CORE OUVE TROCA DE TIROS E CARLOS EDUARDO FOI BALEADO E MORREU QUANDO ERA LEVADO PARA O HOSPITAL SOUZA AGUIAR.
NA AÇÃO DA CORE FOI APREENDIDO UM FUZIL SIG SAUER CALIBRE 7.62.

SE NÃO FOSSE BANDIDO O TRÁFICO NÃO ORDENARIA LUTO FORÇADO!

POLICIAIS MORTOS, POLICIAIS BALEADOS!

TENENTE-CORONEL DA PM E IRMÃO FORAM BALEADOS

O policiamento foi reforçado nas proximidades do Caju, onde o tenente-coronel Luiz Carlos Leal Gomes foi baleado quando estava com seu irmão Cláudio Luiz Leal Gomes. Os irmãos saiam da casa de parentes por volta das 2h deste sábado, quando foram supreendidos por bandidos da região. Para auxiliar a investigação a polícia recolheu projéteis do chão e retirou o carro, um gol vermelho, onde estavam as vítimas. Durante a madrugada, o Bope fez uma operação na favela da Manilha, no Caju, em busca dos criminosos mas ninguém foi preso.
O tenente-coronel foi levado ao Hospital Central da Polícia Militar e permanece internado em estado grave. Ele foi baleado com três tiros, um no braço, outro no peito e o terceiro no abdomen. O irmão foi baleado no peito.

UM POLICIAL CIVIL E DOIS POLICIAIS MILITARES MORTOS CAMPO GRANDE.

Dois policiais militares e um policial civil foram atacados e mortos a tiros, na tarde de ontem, no camelódromo de Campo Grande.
Morreram no ataque o Inspetor Laiso Leal Hill da 35º DP de Campo Grande e o Cabo PM Alessandro Rocha Rodrigues do BPChoque e o PM reformado Jorge dos Santos.
O sargento Flávio Aurélio lotado no RPMont, que também foi atingido está internado no Hospital Estadual Rocha Faria.

sexta-feira, 27 de março de 2009

NA HORA ERRADA NO LOCAL ERRADO!...É MUITO AZAR!

José Carlos Barbosa, de 22 anos, era traficante de drogas e morreu durante uma troca de tiros com policiais militares. De acordo com a polícia, José Carlos estava portando uma pistola 7.65 e carregava cerca de 106 papelotes de cocaína, 24 pedras de crack e 52 trouxinhas de maconha. Ele era irmão de um dos três jovens mortos no ano passado por traficantes do Morro da Mineira.
PORTANTO ELE ESTAVA NA HORA ERRADA NO LOCAL ERRADO!

Mãe *denuncia a OAB/RJ execução de outro filho na Providência http://odia.terra.com.br/portal/rio/html/2009/3/mulher_denuncia_a_oab_rj_execucao_de_outro_filho_na_providencia_2632.html

A Rede Globo, a OAB e as ONGS defensoras dos Direitos Humanos
Elas fizeram questão de apoiar na época o caso para criar na população um clima de alerta. Isso seria o ideal se esses atos não fossem comandados e talvez `pagos` pelos maiores interessados, que são os traficantes e marginais, para desvalorizar o exército e as polícias impedindo-as subir nas favelas.
Vejam a realidade: Segundo os registros, os três civis "inocentes" entregues pelo exército à traficantes, possuíam passagem pela polícia `e que passagem`.
David Wilson Florenço da Silva, conhecido como "Deivão", foi preso em flagrante, em junho de 2004, por porte ilegal de munição e corrupção de menores. Também seria segurança do traficante Carlinhos Fininho, gerente da boca de fumo do Morro da Providência, favela dominada pela facção criminosa Comando Vermelho (CV).
Marcos Paulo Rodrigues Campos, era primo do traficante Carlinhos Fininho e provavelmente prestava serviços como segurança da boca-de-fumo. A mãe adotiva de Marcos, Maria de Fátima Barbosa*, foi presa em flagrante delito pela Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, no dia 18 de dezembro de 2004, em companhia de três cidadãos, por estarem de posse de 04 (quatro) fuzis, sendo três de calibre 7.62mm e um de calibre .223, além de cartuchos de munição para os calibres supra citados.
Wellington Gonzaga da Costa Ferreira, também conhecido como "Negão" possui registro policial por ser acusado de associação para o tráfico, em maio de 2006. Seria também segurança do traficante Carlinhos Fininho. Lílian Gonzaga da Costa de Souza, mãe de Wellington, já foi presa por posse de cocaína, em 2001.

quinta-feira, 26 de março de 2009

PROFESSORES DO ESTADO E MUNICÍPIO VÃO PARAR

Professores do município e do estado do Rio fazem paralisação
A escolas públicas do estado e do município do Rio vão parar dia na próxima segunda- feira (30). Os profissionais das escolas públicas estaduais e do município do Rio vão participar das atividades do "Dia Nacional de Luta Contra as Demissões".As instituições vão parar por 24 horas, com um ato público em frente à prefeitura, às 10h; já os profissionais dos estado farão um protesto em frente à sede da secretaria estadual de educação, na rua da ajuda (centro), às 12h. Logo após os protestos, a categoria participará do ato unificado contra as demissões, organizado pelas diversas centrais trabalhistas na candelária, com concentração a partir das 14h.
A paralisação da educação pública também é um protesto contra os baixos salários, as más condições de trabalho, a carência de professores e funcionários e em defesa da autonomia pedagógica e da escola pública.

http://www.sidneyrezende.com/noticia/34276+professores+do+municipio+e+do+estado+do+rio+fazem+paralisacao

quarta-feira, 25 de março de 2009

GOVERNADOR CABRAL EM BAIXA

Datafolha: Aécio lidera ranking de governadores; Cabral é 9º

São Paulo - O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), manteve-se na liderança do ranking de avaliação dos governadores elaborada pelo instituto Datafolha. Em uma escala de zero a dez, Aécio ficou com nota 7,6. O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), com quem Aécio disputa o direito de concorrer à Presidência em 2010, obteve nota média de 6,6 na pesquisa. O levantamento foi realizado entre os dias 16 e 19 de março. O Datafolha ouviu 10.664 eleitores nos nove Estados e DF. A margem de erros é de dois pontos, para mais e para menos, em São Paulo, três pontos nos demais Estados e quatro pontos no Distrito Federal. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.
Serra caiu da terceira para a quinta colocação em comparação ao ranking elaborado em novembro de 2007, quando obteve nota 6,5. O índice de aprovação do governador, no entanto, aumentou de 49% para 54%.

O governador do Paraná, Roberto Requião (PMDB), alcançou a mesma nota de Serra no ranking deste ano - 6,6. Requião, no entanto, ganha no índice de popularidade, adotado como critério de desempate. O índice de popularidade, criado pelo Datafolha, é calculado subtraindo-se a avaliação negativa (ruim e péssimo) da positiva (ótimo e bom). O resultado é somado a 100.

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) saltou de quarto para o segundo lugar. A nota de Campos em 2007 era de 6,4 e passou para 7,0 neste ano. Também houve aumento na taxa de aprovação do governador, que subiu de 40% para 56%.

O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), passou da nona colocação em 2007 para o sexto lugar de hoje - a taxa de aprovação de seu governo passou de 38% para 59%.

O governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), permaneceu em sétimo lugar, mas obteve crescimento da taxa de aprovação de seu governo: de 30% para 44%.Em oitavo lugar, aparece o governador de Santa Catarina, Luiz Henrique Silveira (PMDB) e, em nono, Sérgio Cabral Filho, do Rio de Janeiro. A tucana Yeda Crusius, governadora do Rio Grande do Sul, continua na última colocação.

As informações são do Terra

Assembleia Legislativa começa a ouvir Riotur sobre contratos da LIESA

Deputados começam a ouvir semana que vem diretores da Riotur sobre o controle do Carnaval pela Liga Independente das Escolas de Samba. “Queremos a cópia do contrato que concedeu tanto poder à Liesa. Vamos abrir a caixa-preta”, diz Dionisio Lins (PP), que presidiu ontem a instalação da comissão especial na Alerj que investigará supostas irregularidades no Carnaval.Dionisio espera ouvir ainda diretores da Turisrio sobre os R$ 6 milhões de subvenções repassados à entidade para o último desfile. Ele explicou que depois convocará os diretores da Liesa e das agremiações. Segundo ele, há informações de que camarotes oficiais teriam recebido serviço de bufê de empresa da qual o presidente da Liesa, Jorge Castanheira, é sócio. A comissão terá 120 dias para concluir o relatório.

segunda-feira, 23 de março de 2009

MISSA DO 6 º ANO SEM GABRIELA


O GRANDE ESTADISTA

Recentemente estive (ressaltando, à força) na inauguração de uma obra em minha cidade, além de todos os políticos aduladores normais, estava presente o vice-governador na qualidade de... (pela quadragésima vez, eu imagino) governador, uma vez que Sérgio Cabral está aproveitando a vida fora do país, novamente.
Durante milhões de devaneios e rasgações de seda de vários políticos, foi a vez de Pezão exaltar nosso cosmopolita Governador Sérgio Cabral chamando-o com uma espantosa entonação e veracidade de “ESTADISTA”, confesso que tamanha bajulação feriu meus ouvidos de tamanha maneira que resolvi fazer uma pesquisa sem a menor pretensão sobre ESTADISTAS.

Definição:
Dicionário On-Line:
Estadista,s. 2 gén.,
pessoa versada em assuntos políticos;
homem de Estado;

Dicionário Michaelis:
Estadista,s m+f (estado+ista) 1 Pessoa versada em negócios de alta política ou que tomou parte importante na governação de um país. 2 Homem de Estado.

Wikipédia:
Estadista,
na definição de Houaiss, é pessoa versada nos princípios ou na arte de governar, ativamente envolvida em conduzir os negócios de um governo e em moldar a sua política; ou ainda pessoa que exerce liderança política com sabedoria e sem limitações partidárias.
(seguindo a pesquisa pelo Wikipédia)

CONCEITO:
Para Aristóteles, o que o estadista mais quer produzir é um certo caráter moral nos seus concidadãos, particularmente uma disposição para a virtude e a prática de ações virtuosas.
Em Tomás de Aquino,. as virtudes e os valores cristãos são inseparáveis da prática política, do buon governo e da figura do rex justus. Homens bons e virtuosos, amizade honesta, unidade, paz e comunhão social. ‘ O governante virtuoso inspira súditos igualmente virtuosos, pelos quais é amado.

MAS, PARA ME CONTRARIAR...
Para Maquiavel, a condução do Estado é considerada uma arte, e o estadista, um autêntico artista, o estadista é adaptável às circunstâncias. O estadista é visto como simulador e manipulador da opinião pública ("a ação acusa mas o resultado escusa"), em uma sociedade a crítica é influenciável pelas aparências, constituída de indivíduos interessados exclusivamente em seu próprio bem estar.
(Aí sim!! Exatamente o que estamos vivendo)

RESUMO: O estadista se preocupa com a próxima geração e o político com a próxima eleição.

Governador: é o mais elevado cargo político eletivo que representa a autoridade máxima do poder executivo em uma província ou estado de uma federação.

E, para não deixar o texto muito longo, nosso letrado e historiador Pezão, igualou nosso campeão em carimbadas de passaporte a “simples” vultos da história ,como Sir Winston Leonard Spencer Churchill, Henry Clay, nosso Getúlio Vargas, entre outros.
Em minha utópica opinião, um Governador, além de ser a voz de seus eleitores, deveria gerir um estado com justiça, deveria ser alguém que construísse seu alicerce político com honestidade e verdade.
Por mais admirados, amados ou polêmicos, estadistas mudam o rumo da história, procurando um bem maior que seus próprios interesses.
Sr. Governador em exercício Pezão, revise bastante seus conceitos sobre o que é ser um ESTADISTA, pois associar um hipócrita, corrupto, alienado, egocêntrico e mentiroso, com alguém com coragem política e inteligência para fazer a diferença para este estado é uma verdadeira piada, seus valores são um tanto aviltados e distorcidos.

Sérgio Cabral entrará para os anais da história deste estado sim, mas como mais um político que não fez absolutamente nada pelo Rio de Janeiro, “veio, viu...e não fez nada”,. Poder paralelo da corrupção e do narcotráfico, miséria, doenças, estado de abandono. Nada mudou e não mudará.

Parafraseando Dante Alighieri, (quando este chegou aos portões do inferno, na obra A DIVINA COMÉDIA) ...Deixai toda a esperança, vós que entrais...
Esta deveria ser a frase de chegada ao estado do Rio de Janeiro, a cidade da bala perdida, cocaína e maconha, prostituição, corrupção, covardia, desequilíbrio social, impunidade e falta de ética.

Excelente texto de autoria de bombeiro militar que prefere preservar sua identidade.


http://cordeldaboladefogo.blogspot.com/2009/03/o-grande-estadista.html

TENENTE-CORONEL DA PM ( AINDA SEM NOME ) ESTÁ PRESO DESDE DE SETEMBRO.


sábado, 21 de março de 2009

O novo estatuto da PM em discussão na Alerj

O debate sobre o novo Estatuto da Polícia Militar promete esquentar a Assembléia Legislativa (Alerj) nas próximas semanas. A questão já provoca um mal-estar entre a corporação e os deputados. Desde outubro do ano passado, a polícia promete enviar as propostas de mudanças para a Casa e, até agora, não o fez. O objetivo dos parlamentares é finalizar um anteprojeto até maio — mês em que haverá a comemoração dos 200 anos da PM.
“Lamentavelmente não enviaram nada até agora. E o projeto vai sair com eles ou não”, afirma o deputado Coronel Jairo (PSC), um dos deputados engajados na elaboração do estatuto. Desde o segundo semestre as propostas vêm sendo discutido na Alerj e, em vários temas, já há consenso de que ocorrerão mudanças.

Um ponto é a questão da regulamentação do segundo emprego de policiais — conhecido como ‘bico’. Hoje, teoricamente, é proibido um PM trabalhar em outra atividade pois o estatuto é claro quanto a exigir a “dedicação exclusiva” do praça ou oficial na profissão. Na prática, no entanto, o que ocorre é o inverso. Boa parte dos policiais exerce outras atividades para complementar o salário ganho da corporação — na maioria das vezes na área de segurança privada. “Sem antes dar um soldo digno, sou a favor do policial exercer outra atividade”, afirma o deputado Flavio Bolsonaro (PP). "Por que em outras profissões pode e na PM não?", afirma o Coronel Jairo.

Outro debate que promete incendiar a Casa é sobre a exclusão de PMs da tropa. Hoje, para expulsar um policial, a corporação forma um colegiado que decide se absolve ou não o servidor. “Muitas vezes, os conselhos optam pela permanência do policial e o comandante o exclui. A PM continua madrasta e só reconhece os direitos do policial quando este recorre à Justiça”, afirmou o deputado Wagner Montes (PDT) ao último jornal da Associação dos Ativos, Inativos e Pensionistas das PMs, Brigadas Militares e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil (Assinap).

A questão rende polêmica. Na semana passada, por exemplo, o comandante da PM, coronel Gilson Pitta, expulsou o sargento Francisco Cesar da Silva de Oliveira, conhecido como Chico Bala. A decisão contrariou o parecer do conselho de disciplina do 25º BPM (Cabo Frio), onde o PM era lotado, e do comandante da unidade, que pediam pela permanência de Chico Bala na corporação mesmo com as acusações de que ele seria integrante de uma milícia na Zona Oeste.

Carga horária e carteira em debate
Os parlamentares ainda defendem que a escala de trabalho dos PMs seja revista. São várias as cargas horárias existentes: 12h de serviço / 24h de folga; 12h/48h; 12h/36h; 24h/48h; e 24h/72h. Cada unidade escolhe a escala que melhor atenda suas necessidades. “A carga horária é ilegal e prejudicial tanto para o PM quanto para a população que dispõe de um profissional exausto e desmotivado”, afirma Bolsonaro na representação que encaminhou ao Ministério Público, em dezembro do ano passado, solicitando que alguma medida seja tomada.

Coronel Jairo também está empenhado em ver a efetiva aplicação da lei estadual 4.848/06 no estatuto. Ela obriga a carteira do policial a registrar o posto ou graduação que o servidor passou a ocupar na reserva, de acordo com seus vencimentos. Segundo o deputado, a medida atende a uma antiga reivindicação de PMs e bombeiros que, até hoje, não recebem documentação adequada à nova posição que passam a ocupar na reserva.

Todas as propostas serão colocadas no papel pelos parlamentares e encaminhadas ao governo do estado até maio. Caberá ao Executivo elaborar um projeto de lei para que a Alerj aprove um novo Estatuto. Segundo o Coronel Jairo, importante integrante da bancada governista, Sérgio Cabral apoia a mudança na PM.

fonte: O Dia

sexta-feira, 20 de março de 2009

Ação da PM que matou 8 ( ? ) disputa prêmio no Rio

RIO - Um concurso feito pelo Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (Cesec), da Universidade Cândido Mendes, com apoio da Secretaria da Segurança do Rio de Janeiro, tem entre as 41 ações finalistas uma operação policial realizada na zona oeste do Rio que resultou na morte de oito suspeitos de tráfico de drogas. A informação é do jornal Folha de S.Paulo.
O prêmio "Polícia Cidadã", que visa "reconhecer e difundir boas práticas policiais", poderá dar como prêmio até R$ 5.000 para cada policial. A operação, do 14º Batalhão da PM, realizada em julho, foi uma das escolhidas entre 183 projetos enviados à comissão do prêmio, e concorre sob o título "Desarticulação de Invasão de Traficantes na Favela Minha Deusa, Realengo".
A descrição sobre a operação foi enviada pelos próprios policiais. Nela consta que a ação "recuperou veículos roubados", realizou "apreensão de diversos armamentos e munições" e "a prisão de dez indivíduos que saíram feridos do confronto". As mortes, no entanto, não são citadas.
A socióloga Sílvia Ramos, coordenadora do Cesec, disse que os finalistas foram definidos com base nos textos enviados pelos policiais. Segundo ela, a organização solicitou às corregedorias das polícias Civil e Militar as fichas disciplinares dos policiais e, se for comprovado que na ação houve algo que contrarie os princípios do prêmio, ela estará eliminada.
O resultado do concurso deve sair em julho. Segundo a Folha, a Secretaria da Segurança defendeu a exclusão da ação do concurso e afirmou, pela assessoria de imprensa, que apenas apóia o prêmio e não participou da seleção dos projetos.
http://jbonline.terra.com.br/pextra/2009/03/20/e200325065.asp

Alerj votará negativa de autorização para processo contra governador

A Assembléia Legislativa (Alerj) votará, na próxima terça-feira, um projeto de resolução que nega autorização para que o Supremo Tribunal Federal (STF) processe o governador do estado, Sérgio Cabral. O STF pediu ao órgão autorização para processar o governador pelo crime de injúria numa queixa-crime do Conselho Regional de Medicina (Cremerj) impetrada após o governador chamar de vagabundos os médicos que faltaram a um plantão do Hospital Getúlio Vargas, na Penha. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Alerj entendeu que o governador não pode ser processado porque não há crime de injúria contra uma entidade, como o Cremerj, e deu parecer contrário ao pedido do STF. Se o parecer da CCJ for mantido pelo plenário, o governador não poderá ser processado pelo ato.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2009/03/20/alerj-votara-negativa-de-autorizacao-para-processo-contra-governador-754932434.asp

Soldado do Distrito Federal ganha mais do que capitão da PM do Rio

RIO - Sempre que as más condições de trabalho dos policiais do estado do Rio entram em discussão, o exemplo do Distrito Federal é citado como modelo que deu certo. Lá, um policial civil em início de carreira ganha R$ 7.500; o policial militar que acabou de entrar na corporação, R$ 4.500, informa o presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Distrito Federal (Sindipol-DF), Luís Cláudio Avelar.
– O policial pode dar uma vida digna para a família. Não precisa morar no morro – conta Avelar. – Um soldado da PM de Brasília recebe mais do que um capitão do Exército. A qualidade de vida é outra. Ele trabalha melhor.
Avelar lembra que em alguns estados dos EUA o bico é legal. Ele conta que o policial trabalha uniformizado, com carro, combustível e armas da corporação, mas recebe de quem o contratou.
– É uma espécie de parceria público-privada. Aquele local em que não haveria policiamento naquele dia, acaba ganhando a presença de um agente da lei. Não sei se funcionaria aqui. Poderia ter regras claras sobre como o bico seria feito – sugere Avelar.
O presidente da Associação dos Militares Auxiliares e Especialistas, Melquisedec Nascimento, considera que há outras medidas, além do aumento do salário, que podem melhorar a vida dos policiais. Uma é a mudança da escala que determina ao agente que trabalhe 24 horas e descanse 48. Melquisedec reivindica 72 horas de descanso. Coletes à prova de bala para todos e treinamento com armas de fogo, entre outras medidas, fazem parte do rosário de sugestões.
– É como se o policial trabalhasse três turnos de oito horas em apenas um dia. Com 48 horas de descanso, no primeiro dia ele só consegue dormir. Ele não está tendo folga. O policial nos EUA dispara mil tiros em treinamento. Aqui a gente fica três anos, em média, sem dar um tiro em treinamento.
O presidente da Associação de Oficiais Militares Estaduais, Dilson Ferreira Anaide, calcula que 90% dos policias militares fazem algum tipo de bico. Aproximadamente, o número estimado por Melquisedec. Ambos dizem que ao se pensar em bico de policiais, automaticamente se pensa em segurança. Mas, segundo eles, não é bem assim.
– Eu, por exemplo, vendo vinho. Há coronéis que são juízes e bandeirinhas. Tem PMs que são professores. Há até pastores – revela Melquisedec.

Jornal do Brasil

quinta-feira, 19 de março de 2009

BELTRAME SUSPENDE BENEFÍCIO DO CHEFE DO ESTADO-MAIOR DA POLÍCIA MILITAR

Depois de pelo menos cinco anos recebendo indevidamente um auxílio-moradia no valor de R$ 942,13 por mês, o chefe do Estado-Maior da Polícia Militar, coronel Antônio Carlos Suarez David, terá o benefício suspenso por determinação do secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame. O oficial não poderia receber a quantia porque mora gratuitamente em uma casa do Estado. O deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP) vai solicitar ao Ministério Público que investigue o caso e obrigue o coronel a devolver aos cofres públicos os mais de R$ 56 mil recebidos de forma indevida. O parlamentar afirma ainda que David deve ser punido criminalmente e afastado do cargo para servir de exemplo para a tropa.
"Para mim, isso é apropriação indébita. Só burlando a legislação ele ganha mais que um soldado. A Secretaria de Segurança tem que afastá-lo e puní-lo para mostrar a todos os policiais que não vai admitir desvio de conduta nem de praça nem de coronel. Tenho certeza que se fosse um cabo, ele já teria sido expulso e preso. Quem está no alto da pirâmide tem que dar o exemplo", cobra Bolsonaro, que no último dia 10 denunciou o caso na tribuna da Alerj.
O deputado vai encaminhar nesta quarta-feira uma representação ao Ministério Público solicitando uma apuração rigorosa dos fatos. Nesta terça-feira, Beltrame esteve em uma audiência pública na Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da Alerj, onde afirmou ter determinado que a Corregedoria Geral Unificada (CGU) investigue o caso, além de ter mandado cortar o auxílio-moradia do coronel. Beltrame disse ainda que podem existir outros policiais militares na mesma situação de David e que a CGU está responsável por identificá-los e investigar cada caso.
Desde que foi morar em uma casa de propriedade do governo do Estado, na Tijuca, Zona Norte do Rio, há pelo menos cinco anos, como afirma Bolsonaro, o chefe do Estado-Maior da PM, deveria ter deixado de receber o benefício como determina a lei 658, de 5 de abril de 1983: "Quando o policial ou bombeiro ocupar imóvel próprio estadual ou arrendado pelo poder público, o quantitativo correspondente à indenização de auxílio de moradia será sacado e recolhido pela corporação para atender despesas de conservação, condomínio e outras análogas", diz trecho da legislação. No entanto, um provável erro na seção de pagamentos da PM não suspendeu o benefício e o oficial não comunicou que continuava a receber a quantia, como era de sua obrigação fazer.

http://odia.terra.com.br/blog/blogdaseguranca/index.asp#1237414557001_BELTRAME_SUSPENDE_BENEFICIO_DO_CHEFE_DO_ESTADO-MAIOR_DA_POLICIA_MILITAR

BELTRAME SUPENDE BENEFÍCIO DO CHEFE DO ESTADO MAIOR DA POLÍCIA MILITAR

Depois de pelo menos cinco anos recebendo indevidamente um auxílio-moradia no valor de R$ 942,13 por mês, o chefe do Estado-Maior da Polícia Militar, coronel Antônio Carlos Suarez David, terá o benefício suspenso por determinação do secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame. O oficial não poderia receber a quantia porque mora gratuitamente em uma casa do Estado. O deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP) vai solicitar ao Ministério Público que investigue o caso e obrigue o coronel a devolver aos cofres públicos os mais de R$ 56 mil recebidos de forma indevida. O parlamentar afirma ainda que David deve ser punido criminalmente e afastado do cargo para servir de exemplo para a tropa.
"Para mim, isso é apropriação indébita. Só burlando a legislação ele ganha mais que um soldado. A Secretaria de Segurança tem que afastá-lo e puní-lo para mostrar a todos os policiais que não vai admitir desvio de conduta nem de praça nem de coronel. Tenho certeza que se fosse um cabo, ele já teria sido expulso e preso. Quem está no alto da pirâmide tem que dar o exemplo", cobra Bolsonaro, que no último dia 10 denunciou o caso na tribuna da Alerj.
O deputado vai encaminhar nesta quarta-feira uma representação ao Ministério Público solicitando uma apuração rigorosa dos fatos. Nesta terça-feira, Beltrame esteve em uma audiência pública na Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da Alerj, onde afirmou ter determinado que a Corregedoria Geral Unificada (CGU) investigue o caso, além de ter mandado cortar o auxílio-moradia do coronel. Beltrame disse ainda que podem existir outros policiais militares na mesma situação de David e que a CGU está responsável por identificá-los e investigar cada caso.
Desde que foi morar em uma casa de propriedade do governo do Estado, na Tijuca, Zona Norte do Rio, há pelo menos cinco anos, como afirma Bolsonaro, o chefe do Estado-Maior da PM, deveria ter deixado de receber o benefício como determina a lei 658, de 5 de abril de 1983: "Quando o policial ou bombeiro ocupar imóvel próprio estadual ou arrendado pelo poder público, o quantitativo correspondente à indenização de auxílio de moradia será sacado e recolhido pela corporação para atender despesas de conservação, condomínio e outras análogas", diz trecho da legislação. No entanto, um provável erro na seção de pagamentos da PM não suspendeu o benefício e o oficial não comunicou que continuava a receber a quantia, como era de sua obrigação fazer.

quarta-feira, 18 de março de 2009

Ex-prefeito Cesar Maia denuncia risco em mandato do governador Cabral

O ex-prefeito Cesar Maia retoma o ataque político em seu ex-blog. Seu alvo nesta quarta-feira foi o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. De acordo com Maia, o mandato do governador está em risco em razão das relações profissionais de sua esposa, Adriana Ancelmo Cabral, que é sócia do escritório de advogacia Coelho, Ancelmo & Dourado advogados (www.cad.adv.br) e defende interesses do estado em ações judiciais, o que caracteriza interesses cruzados, segundo denúncia do ex-prefeito Cesar Maia.No texto, o ex-prefeito afirma que "é como se fosse o próprio marido/governador. Não pode ser contratada por empresa que tem relações de fornecimento com o Estado, que governa seu marido", disse Maia, ao comparar a proibição legal de um procurador do estado de advogar contra o Governo Estadual.Cesar ainda aponta duas ações que o escritório da primeira dama atua. A primeira seria na defesa da empresa "Quinze de Maio Incorporação Imobiliária Ltda", em que a Feema é ré por ter concedido uma licença ilegal para um resort em Búzios. Já o outro exemplo é uma ação de Arthur da Facility, que segundo Maia, é o maior fornecedor de serviços do Rio de Janeiro.Segundo o ex-prefeito, o Ministério Público deve investigar o assunto e acabará descobrindo outros processos que incluem o ramo imobiliário. Ele prometeu também que em breve fará denuncia de novos casos.A equipe do SRZD procurou a assessoria de imprensa do governador que afirmou que não irá comentar o caso.
http://www.sidneyrezende.com/noticia/33370+ex+prefeito+cesar+maia+denuncia+risco+em+mandato+do+governador+cabral

terça-feira, 17 de março de 2009

COMISSÃO DA ALERJ X BELTRAME

Beltrame diz que não combaterá bico de policiais enquanto salários não melhorarem
O secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, afirmou em audiência pública na Assembleia Legislativa do Rio, que não combaterá o bico dos policiais, pelo menos enquanto o estado não remunerar melhor os profissionais de segurança.
Membro da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da Alerj, o deputado Paulo Ramos (PDT) questionou o secretário sobre as denúncias de que policiais militares que teriam trabalhado fazendo segurança privada para a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), no Sambódromo, estariam sendo punidos.
- Precisamos entender esta conivência do Poder Público com o carnaval, que é controlado por uma espécie de máfia de banqueiros do jogo do bicho e controladores de caça níquel. Sabemos que a Liesa, que é controlada por estas pessoas, recebe recursos federais, estaduais e municipais. Por que, então, punir aqueles que estão trabalhando honestamente para complementar sua renda familiar?", queixou-se Ramos.
Beltrame afirmou desconhecer a questão contratual entre a Liesa e a Prefeitura do Rio, assim como qualquer tipo de repasse orçamentário do estado ou da União.
- Posso responder apenas sobre minha competência e serei suficientemente sincero para afirmar que não combaterei o bico dos policiais, pelo menos enquanto o estado não remunerar melhor os profissionais de segurança. Apenas não admitirei que trabalhem para pessoas que, mesmo tacitamente, estejam envolvidas com atividades criminosas - disse Beltrame.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2009/03/17/beltrame-diz-que-nao-combatera-bico-de-policiais-enquanto-salarios-nao-melhorarem-754879098.asp
COMISSÃO VAI VISTORIAR COMUNIDADES OCUPADAS POR POLICIAIS
Beltrame: 'Criou-se no Rio uma cultura de matar'
Beltrame diz a deputados que não combaterá bico de policiais

segunda-feira, 16 de março de 2009

Cabral agride Lindberg na festa de Lula

TENSÃO MOSTRA O QUE AS PESQUISAS DIZEM: VAI MAL DE AVALIAÇÃO!
Falta de aviso é que não foi. E, infelizmente, o personagem principal desta coluna, o meu amigo governador Sérgio Cabral, acabou tendo uma explosiva crise nervosa no local mais inadequado para um político: no palanque oficial do presidente da República, em Cabo Frio, na Região dos Lagos.
Ao discursar na solenidade de entrega de mais escolas técnicas para o estado, Sérgio Cabral foi interrompido, algumas vezes, por tímidas vaias do público.
Ao voltar para o seu lugar e notar a presença do prefeito de Nova Iguaçu, Lindberg Farias, sentado atrás dele, na segunda fila, Cabral virou-se aos berros: — Lindberg, da próxima vez que você trouxer claques, vai dar merda! Assustado, o prefeito, que inicialmente pensou que a abordagem fosse de cumprimento, balançou a cabeça, negando ter sido o maestro das vaias.
Aí, o governador ficou mais furioso e gritou novamente: — Vai dar merda! Vai dar merda!

FONTE: coluna do Moreno no Globo.

domingo, 15 de março de 2009

OFICIAL DA PM PRESA - SÃO PAULO

Presa primeira oficial na história da PM acusada de corrupção

Neste sábado, aconteceu pela primeira vez a prisão de uma policial. Elisabete Soliman é a primeira oficial detida na história da PM, acusada de receber R$ 30 mil por mês de propina. A Polícia Militar de São Paulo suspeita que a tenente-coronel tenha praticado crime de corrupção em esquema de facilitação de caça-níqueis e também extorsão de perueiros ilegais na Grande São Paulo.
De acordo com o coronel Wagner César Gomes de Oliveira Pinto, do Comando de Policiamento Metropolitano Guarulhos, há "fortes indícios" de que a oficial tenha praticado esses crimes. Ela comandava o 31º Batalhão da PM em Guarulhos e estava afastada da função desde o final de dezembro de 2008 por causa da investigação. Ao todo, dez policiais do mesmo batalhão foram presos desde fevereiro. O grupo é investigado por extorsão, concussão, peculato, desvio de cargas e prevaricação em Santa Isabel e Arujá, cidades da região metropolitana de São Paulo.. A prisão de ontem foi resultado da delação premiada feita pelo primeiro-tenente Antônio Domingos de Souza Neto, subordinado de Soliman. Todos os suspeitos desses crimes negam as denúncias. São vários os crimes praticados por quem deveria combater crimes, cometidos por membros das Polícias Civil e Militar. De outro lado, incansavelmente, o trabalho do Ministério Público e das Corregedorias. Vamos há alguns exemplos.
Em fevereiro, o delegado Marcelo Teixeira Lima que chefiou a equipe que recuperou as telas milionárias furtadas do Museu de Arte de São Paulo (Masp) em 2007, e outros cinco policiais civis do Departamento de Investigações Sobre Crime Organizado (Deic) foram denunciados à Justiça por sequestro, extorsão e furto a um traficante de drogas ligado a uma facção criminosa que age nos presídios. A justiça também decretou a prisão dos suspeitos, três policiais foram demitidos. Esse é um dos processos de expulsão que estão sendo revistos na Polícia Civil de São Paulo e no Ministério Público. Os agentes também são suspeitos de pagar R$ 300 mil para comprar uma decisão favorável a eles na Justiça. No início do mês, mais denúncias de policiais militares suspeitos de participar de um grupo de extermínio que atuava no Capão Redondo e Jardim Ângela, na Zona Sul da capital, e cuja principal característica é decapitar e decepar as mãos e pés das vítimas, para dificultar a identificação. Os corpos eram abandonados em um terreno, em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo. Quinze policiais estão presos.
O secretário da Segurança Pública, Ronaldo Marzagão, disse na tarde de sexta-feira, em entrevista coletiva, que as denúncias de corrupção supostamente envolvendo policiais civis e militares nos últimos dias desgastam a imagem da polícia de São Paulo. Disso não temos nenhuma dúvida, os péssimos exemplos sempre se sobrepõem ao bom trabalho realizado.
http://www.sidneyrezende.com/noticia/33033+presa+primeira+oficial+na+historia+da+pm+acusada+de+corrupcao

BOA SORTE DEPUTADO FLÁVIO BOLSONARO


sábado, 14 de março de 2009

TV REPÓRTER DE CRIME X OS ARAPONGAS DA P2

video

Manifestantes flagram PM espionando libertação de coronel punido

http://oglobo.globo.com/rio/ancelmo/reporterdecrime/post.asp?t=manifestantes-flagram-pm-espionando-libertacao-de-coronel-punido&cod_Post=168754&a=135

Coronel da PM que foi punido por escrever em blog é solto

O coronel da PM Ronaldo de Menezes - que foi punido com prisao de 4 dias por ter expressado opinião em blog de outro oficial - foi solto agora há pouco no quartel do 4º Comando de Policiamento de Area de Niterói. O oficial foi saudado por um grupo de manifestantes, entre os quais o deputado estadual Flavio Bolsonaro, que havia visitado o coronel, assim como os deputados Marcelo Freixo e Fernando Gabeira.
Ao sair, em traje civil, o coronel Menezes disse que encarou normalmente a pena porque, segundo ele, tem a consciência tranquila de que não ofendeu nem criticou ninguém. Em seu artigo ele fez apenas uma análise da situação precária da segurança pública no Estado do Rio, onde é policial há 35 anos sem qualquer punição.
Ele afirmou ainda que espera saber a opinião das autoridades da área de segurança e do governador Sérgio Cabral, sobre a prisão. O deputado Bolsonaro disse já ter 29 assinaturas de deputados estaduais para enviar um ofício ao governador pedindo a anulacao da punição dada ao coronel pelo comando-geral da PM.
A manifestação foi filmada por policiais do serviço reservado da PM, que ficaram de plantão na porta do quartel. Apenas um PM teve coragem de comparecer ao ato - o capitao Luiz Alexandre, lotado no Grupamento Especial de Policiamento de Estadios e autor de um blog sobre segurança. A manifestação foi esvaziada pelo chefe do 4º CPA, que havia pedido que não fosse realizada para não prejudicar sua gestão.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2009/03/14/coronel-da-pm-que-foi-punido-por-escrever-em-blog-solto-754842624.asp

sexta-feira, 13 de março de 2009

QUATRO POLICIAIS MILITARES MORTOS

O sargento Yolando Flávio Silva, de 38 anos, morreu no ataque a um Destacamento de Policiamento Ostensivo (DPO) em Sambaetiba, Cachoeiras de Macacu.


O cabo Carlos Renato Geraldo da Silva, de 40 anos, foi encontrado morto dentro de seu carro na Rua Flamengo, próximo à Estrada da Posse, no bairro Adriano, em Nova Iguaçu. Ele trabalhava no 6º BPM (Tijuca).


O PM Francisco José Barreto, assassinado por dois ocupantes de uma moto na Estrada do Barro Vermelho, em Rocha Miranda.


O PM Marlon Rodrigues de Farias, de 27 anos, que atuava na 3ª Cia em Rio das Ostras do 32º BPM (Macaé). Morreu ao tentar evitar um assalto.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Álvaro Lins é expulso da Polícia Civil

A Corregedoria Geral Unificada, da Secretaria de Estado de Segurança do Rio de Janeiro, concluiu nesta quarta-feira (11), o Processo Administrativo Disciplinar que apurou desvios de conduta do ex-chefe de Polícia, Álvaro Lins. O Procedimento Administrativo Disciplinar foi instaurado em 14 de maio de 2007, soma dez volumes e 3649 páginas.
Nos autos estão reunidas provas técnicas da CGU, oitivas de testemunhas e provas emprestadas da investigação da Polícia Federal. O processo levou 667 dias para ser concluído, respeitando-se todos os ritos e direito de ampla defesa do acusado.
O relatório final resume assim, na ementa final, os motivos que levaram a CGU recomendar a demissão do servidor.
"Imputação de cometimento de fatos gravíssimos durante o exercício deste cargo; associação e exercício de comando de agentes de autoridade com fins ilícitos; loteamento de Delegacias; inversão hierárquica efetivada com vistas ao maior controle de determinadas delegacias e conseqüente recebimento de propinas regulares; acobertamento e proteção dos interesses de determinado contraventor penal; aumento patrimonial absolutamente incompatível com os rendimentos auferidos pelo servidor processado; conjunto probatório farto; fatos sobejamente comprovados na seara administrativa disciplinar; provas obtidas em consonância com os mandamentos regulamentares, legais e constitucionais (...) Extrema gravidade dos fatos. Repercussão nefasta à imagem institucional; ofensa aos valores legais e deontológicos que devem nortear a atividade policial;consequências negativas de difícil reparação; condutas ilícitas perpetradas com abuso e desvio de poder hierárquico conferido ao cargo que ocupava o servidor processado. Recomendação de aplicação de pena de demissão gravada com a nota do bem do serviço público(...)"
O secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, comentou o trabalho da CGU.
"Foi uma decisão institucional. O importante é mostrar para a sociedade que é possível trabalhar levando em conta somente as regras, sem influência de terceiros, dando um tratamento justo. Mas faço um apelo para que o Poder Legislativo modernize as regras processuais das corregedorias. Um processo que leva 667 dias para ser concluído, por mais importante que seja, não condiz com a rapidez das mudanças que a sociedade gostaria de ver."
O processo foi oficialmente concluído na tarde de quarta-feira com a assinatura do governador Sérgio Cabral Filho. Álvaro Lins foi demitido da Polícia Civil.

http://www.sidneyrezende.com/noticia/32718

terça-feira, 10 de março de 2009

NUM GOVERNO DE MENTIRA, CABRAL PRENDE CORONEL POR DIZER A VERDADE!

1. O Coronel Ronaldo Antônio de Menezes foi preso disciplinarmente (!) por 4 dias. Razão: escreveu um artigo que o Coronel Ricardo Paúl publicou em seu blog (http://celprpaul.blogspot.com/). O artigo trata do bico dos policiais em toda a pirâmide social, desde os condomínios de renda alta, passando por certos corredores comerciais e chegando aos mais pobres via milícia. Inacreditavelmente foi preso por falar a verdade, uma verdade óbvia. Trechos do artigo, abaixo.

2. “Veicula-se mais um concurso para ingresso nos quadros da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, como sempre é feito quando fatos perturbadores ou números indicam a falência da segurança pública no nosso Estado." (...) “A falta de investimento na profissionalização do Policial tem uma ação perversa em desfavor do agente de segurança pública e da sociedade em geral, pois, ao sentir-se desvalorizado, seja financeira, institucional ou moralmente, e descobrir que, executando atividades paralelas, obterá melhor remuneração, o homem perde o vínculo com o público e prioriza o privado."

3. "Como os agentes possuíam duas fontes de pagamento, a administração pública entendeu que não era mais necessário pensar em uma remuneração condigna ou condições de trabalho, bastava fechar os olhos e institucionalizar oficiosamente o ‘bico’. O quadro parecia que estava pronto, o ‘bico’ tornou-se a atividade principal e o serviço público virou uma atividade complementar, cujo principal atrativo era conferir o direito à identidade e arma de fogo. O patrão deixou de ser a população e passou a ser o ‘Dono da Segurança’, o interesse deixou de ser a coisa pública e passou a ser o privado."

4. "O policial passou a trabalhar completamente extenuado, físico e emocionalmente, uma vez que a jornada dupla consumia-lhe as forças; este homem, armado e com a incumbência de proteger a sociedade, tornou-se uma ameaça em potencial ao partir para as ruas, insatisfeito com o salário baixo e o descaso com que é tratado, portanto, propenso a práticas arbitrárias e acidentes que podem vitimar tanto a si quanto àqueles que devia proteger."

5. "Toda essa prestação de serviço que substitui o papel estatal, seja no atendimento ao topo ou à base da pirâmide social, deixa bem clara a privatização do sistema de segurança pública e uma perigosa inversão de valores."

Texto do ex prefeito César Maia

---------------------------------------------------------------------------------------
CORONEL DA PM PRESO POR PUBLICAR ARTIGO EM UM BLOG, GANHOU AS PÁGINAS DOS PRINCIPAIS JORNAIS.


Coronel da PM é preso por publicar artigo.
http://oglobo.globo.com/rio/mat/2009/03/10/coronel-da-pm-preso-por-publicar-artigo-754768608.asp

Presidente da Assinap comenta prisão de coronel.
http://extra.globo.com/geral/casodepolicia/post.asp?t=presidente-da-assinap-comenta-prisao-de-coronel&cod_Post=167521&a=443

Coronel da PM é preso no Rio por publicar artigo sobre os "bicos" feitos por policiais.
http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u532456.shtml

Coronel critica PM e acaba preso em Niterói.
http://odia.terra.com.br/rio/htm/coronel_critica_pm_e_acaba_preso_em_niteroi_235065.asp

Coronel que criticou a Polícia Militar é preso em Niterói.
http://jbonline.terra.com.br/pextra/2009/03/10/e100321093.asp

POLICIAIS MILITARES LEIAM O DISCURSO DO DEPUTADO FLÁVIO BOLSONARO.


Discurso - Flávio Bolsonaro


O SR. FLÁVIO BOLSONARO – Nobre Sr. Presidente Caetano Amado, estive hoje no Município de Niterói, visitando um policial militar que se encontra detido no 4º Comando de Policiamento de Área, o 4º CPA, porque, pasmem, Deputados, escreveu um artigo na internet fazendo um elo entre as atuais chamadas milícias e problemas básicos da Corporação Policial Militar. É uma bola de neve, que começa com os baixos salários, passa pelo descaso das autoridades da pasta de segurança pública ao longo dos governos e hoje chega a esse quadro lamentável, em que, infelizmente, alguns, uma minoria de profissionais da segurança pública estão envolvidos em alguns crimes, principalmente em locais mais carentes.
Refiro-me ao Coronel da PM Menezes, que já passou por vários comandos sem ter em sua ficha disciplinar nenhuma, nenhuma punição, em quase 35 anos de serviços prestados à sociedade fluminense – sua turma completa 35 anos agora, nessa sexta-feira, mas ele não vai ter como comemorar, porque está preso, porque botou uma opinião sua sobre determinado assunto, sem ofensas pessoais a ninguém, na internet.
Quero chamar atenção a esse caso, porque tenho batido na tecla da revisão do Regulamento Disciplinar da Polícia Militar. Já que estamos numa semana em homenagem a todas as mulheres, há algumas atrocidades no RDPM aplicadas, por exemplo, às mulheres. V. Exa. sabia que, para uma policial militar pintar o cabelo, tem que pedir autorização para seu comandante? V. Exa. sabia que, se uma policial militar pintar as unhas de uma cor mais extravagante, vermelho, por exemplo, ela pode ser punida com detenção? Isso está escrito no Regulamento Disciplinar da Polícia Militar.
No caso específico do Coronel Menezes, é bastante clara a perseguição, por ele ter defendido, na gestão passada do ex-Comandante da Polícia Militar, Coronel Ubiratan, melhorias para a categoria. Não venho aqui fazer defesa de grupo A, B ou C dentro da Corporação, mas é importante frisar que, pelo menos, foi um conjunto de oficiais – coisa rara, se não inédita dentro da Polícia Militar – que estavam brigando por melhorias para a categoria. E o nosso Secretário de Segurança José Mariano Beltrame - repito e já falei isso publicamente várias vezes - é um homem honrado, um homem sério, um homem íntegro, mas que possui ao seu redor pessoas que se fazem de madres, e no fundo são prostitutas, Presidente. É muito fácil você prender um policial, você punir principalmente um praça da PM. As pessoas vestem aí uma máscara de idoneidade e quando olhamos para a sua história, para a sua trajetória dentro da Corporação, não há muita coisa do que se orgulhar. Temos, por exemplo, o Coronel Pita, Comandante-Geral da PM; em qualquer instituição militar deste País, um oficial, que é repetente da Academia, nem ao posto máximo da Corporação ele chega, no entanto, é o caso do Coronel Pita, e ele é o Comandante-Geral da PM.
Outra situação: nós temos aí o Coronel Davi, que é o segundo homem dentro da Corporação, que faz força para prender por quatro dias um Coronel por colocar a sua opinião na internet. E, no entanto, Deputado Coronel Jairo, ele mora há mais de cinco anos numa casa que é paga pela Corporação, que é fornecida pela PM, e recebe no seu contracheque R$ 949,00 de auxílio-moradia.
Então, qual moral têm essas pessoas para virem e apontar o dedo para a cara de qualquer membro da Polícia Militar? E o nosso Secretário de Segurança tem que atentar para esses detalhes. Apesar de conhecê-lo há pouco tempo, sou testemunha das suas posições firmes e das diversas tentativas que tem feito, inclusive junto ao Governador do Estado, para tentar valorizar a categoria. Mas ele também tem limitações.
Então, queria terminar este discurso pedindo ao Governador ou ao Secretário, primeiro: que reveja essa punição que foi dada ao Coronel Menezes. A democracia também tem que entrar nos quartéis. A democracia também tem que valer para os militares.
E o segundo pedido que faço ao Secretário de Segurança é que, de fato, dê motivos para a Corporação comemorar os seus 200 anos, que é um marco histórico e precisa, sim, ser comemorada. Mas, infelizmente, a tropa não está em festa. E o que a tropa quer é um novo regulamento disciplinar. O que a tropa quer é um novo quadro de disposição de efetivo. O que a tropa quer são salários dignos. E o que a tropa quer, Presidente Deputado Caetano Amado, é um Comandante-Geral à altura da responsabilidade e da importância da Polícia Militar, e não mais pessoas que estão hoje na cúpula da Corporação e que estão degradando a Segurança Pública do nosso Estado e desmotivando completamente a tropa, porque não são homens de coragem, de buscarem melhorias junto ao Governo do Estado. Não são homens de coragem, munidos no cargo de coronéis da PM, que possam fazer valer essas estrelas que possuem nos ombros e exigir que a tropa tenha o mínimo de dignidade, porque são chefes de família, são seres humanos que têm necessidades, e quando olham para cima e veem que esse é o currículo de quem os comanda, infelizmente, Sr. Presidente, fica mais difícil ainda exigirmos uma conduta compatível com aquela que é aguardada pela nossa população.
Muito obrigado.
http://www.alerj.rj.gov.br/assuntos2.htm

segunda-feira, 9 de março de 2009

A LEI DA MORDAÇA

PM pune mais um policial por se expressar em blog
Punir policiais por se expressarem em blogs na internet é muito mais fácil do que oficiais da PM que fazem "bico" para empresas de segurança privada contratas pela Liga das Escolas de Samba do Rio.
Acabo de saber que amanhã às 8h o coronel Ronaldo Antonio de Menezes vai se apresentar no 12o BPM (Niterói) para quatro dias de cadeia em consequência de punição disciplinar imposta pelo comando-geral da PM simplesmente porque publicou um artigo no blog do Coronel Ricardo Paul.
Eu já perdi a conta de quantos policiais militares foram punidos por se expressar na internet. Essa prática teve início na gestão do atual comandante-geral da PM, coronel Pitta, que se mantém impermeável nas relações com a sociedade, por meio da imprensa.
Infelizmente o governo Sérgio Cabral - um democrata e filho de democrata - terá em sua conta uma das gestões mais autoritárias da Polícia Militar, justamente quando a corporação está prestes a completar 200 anos.

http://oglobo.globo.com/rio/ancelmo/reporterdecrime/post.asp?t=pm-pune-mais-um-policial-por-se-expressar-em-blog&cod_Post=167147&a=135

O coronel na prisão
Nesta terça-feira, acontece um fato tão raro quanto alinhamento de planetas: um coronel da PM do Rio vai começar a cumprir quatro dias de Detenção no quartel do 4º CPA em Niterói. O oficial chegará fardado e prestará honras à bandeira nacional antes de se recolher.Por uma dessas trágicas coincidências, o preso ficará na última unidade que comandou; é o coronel Ronaldo Antonio Menezes. A razão da prisão é o artigo escrito por Menezes em abril de 2008, publicado no blog do coronel Paúl:http://celprpaul.blogspot.com/2008/05/perversidade-do-bico-e-privatizao-da.html
Se Menezes é o único coronel preso na PM do Rio, podemos todos ficar aliviados: não há mais nenhum coronel suspeito na corporação. Ninguém recebe do jogo do bicho, nenhum coronel tem envolvimento com caça-níqueis, nenhum é amigo das vans. Temos apenas Menezes como "facínora".Outro desses "bandidos" é o major Wanderby Braga de Medeiros.Wanderby foi covardemente excluído do quadro de acesso. Seu nome foi colocado na vala comum de nomes em desvio de conduta. A PM sinaliza algo parecido com o que sinalizou o bispo de Recife e Olinda quanto ao estupro da menina de nove anos, como se a corporação tivesse um Direito Canônico, e não um direito a partir da democracia. Ou seja, estuprar a menina pode. O que não pode é tentar abortar o resultado deste estupro. E estupro com camisinha não pode. Pelo direito canônico da PM, cometer atos de desvio de conduta que atraiam as críticas de toda a sociedade é muito menos grave do que expurgar as irregularidades. Ou seja: inverteram-se de vez os valores.
É uma pena que a grande imprensa não mostre tal inversão.
http://gustavodealmeida.blogspot.com/

OS 200 ANOS DA POLÍCIA MILITAR DO RIO DE JANEIRO

A festa de comemoração pelos 200 anos da Polícia Militar está sob suspeita. O deputado estadual Flávio Bolsonaro (PP) está enviando ao Ministério Público estadual um ofício em que quer saber detalhes sobre todos os gastos da corporação. Da compra de adesivos até a distribuição de medalhas passando pelas solenidades patrocinadas pela PM.
http://extra.globo.com/geral/casodepolicia/post.asp?t=os-200-anos-da-pm-do-rio&cod_Post=166675&a=443

Morte diária de policiais

HOJE TEM VELÓRIO, AMANHÃ TAMBÉM!

Todos os dias, os jornais noticiam que um policial foi morto nas ruas do Rio de Janeiro. Quase sempre, a dinâmica é a mesma: o policial foi abordado por criminosos fortemente armados, os quais descobrem sua identidade e o executam friamente. Matar policiais garante aos autores reconhecimento junto aos seus pares, os elevam na hierarquia criminosa, aumenta seus conceitos como matadores. Caçar policiais tornou-se uma diversão entre os marginais. A prática foi ampliada, e não só policiais, sejam civis ou militares, tornaram-se alvo preferidos da marginalidade. Militares das forças armadas também. Antigamente, constituía-se em pecado mortal, na essência da palavra, matar um policial. Mas como a mudança de atitude aconteceu?
Para explicar, seria necessário um longo espaço, mas, em síntese, o que aconteceu foi o seguinte: os seguidores dos ensinamentos de Gramsci conseguiram, aos poucos, de forma subliminar, fazer as pessoas — e, em consequência, a sociedade — aceitarem que a polícia só existia para garantir os direitos das elites e, como tal, seus integrantes deveriam ser eliminados.
Há pouco tempo, um dos famigerados "ólogos", falso defensor dos direitos humanos, teve o cinismo de afirmar na imprensa que a morte de policiais não se configuraria agressão aos direitos humanos, pois, como agentes do Estado, eles estariam sujeitos a morrer, enquanto que o criminoso, não. Este seria apenas uma vítima da sociedade e, portanto, jamais poderia sofrer qualquer tipo de agressão, nem mesmo receber revide quando disparar uma arma contra um policial.
O imediatismo, a falta de cultura, entre outras tantas falhas, fez com que boa parte da sociedade aceitasse tal tragédia. Hoje, não há um só dia em que não se fica sabendo que um policial militar ou civil foi morto covardemente por celerados marginais. Interessante é o que ocorre quando um desses transgressores é preso. O medo de morrer é tamanho que, quando são presos e não há testemunhas de sua prisão, praticamente tornam inviável o uso da viatura policial por vários dias, pois não conseguem segurar os intestinos.
O que se conclui destes acontecimentos? Marginal é covarde, medroso, se borra na primeira oportunidade. Independentemente das vantagens adversas, conseguidas pelos seguidores da anacrônica teoria de Gramsci, o que faz a Policia Militar para evitar ou minimizar tais ocorrências? Absolutamente nada, pois, como responsáveis constitucionalmente pelo policiamento ostensivo, a redundância de casos nos mesmos locais, nas mesmas áreas, vitimando policiais, e sem um resultado positivo, demonstra, antes de qualquer coisa, descaso. Seria muito bom saber que a Policia Militar aumentou seus custos com detergentes para lavar viaturas. Enquanto isso, amanhã teremos mais um velório.
http://extra.globo.com/geral/casodepolicia/nascimento/

sábado, 7 de março de 2009

HOJE É UM DIA ESPECIAL


Mulheres, personalidades honradíssimas
Temos nós, orgulho em tê-las.
Minha homenagem para todas as Cleydes, todas as Mônicas, todas as Carolinas, todas as Márcias, todas as Matildes, todas as Janas e Leucas.
Sem deixar de mencionar as mães e esposas dos policiais militares,
dos bombeiros, dos policiais civis e guardas municipais.
As funcionárias estaduais e municipais
A minha mãe e a sua mãe.
Enfim... todas as mulheres!
UM FELIZ DOMINGO

CHOQUE DE ORDEM


sexta-feira, 6 de março de 2009

AeroCabral - SEGURANÇA NECESSÁRIA PARA O GOVERNADOR PASSAR O FINAL DE SEMANA EM ANGRA DOS REIS


CABRAL É VAIADO - LULA É VAIADO - VIVA A VAIA!

O governador Sérgio Cabral recebeu uma bela vaia dos estudantes na inauguração do Instituto Federal de Educação em Cabo Frio. Quem estava lá presenciou a grande vaia, que nosso governador recebeu durante seu seu discurso.
Cabral destacou durante seu discurso vaiado as políticas do governo Lula, segundo ele, "voltadas para todos" e, em particular, aquelas relacionadas à área de Educação.
Mas os jornais não noticiaram.
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e o prefeito de Cabo Frio, Marcos da Rocha Mendes estavam presentes na inauguração do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense. A unidade faz parte do Plano de Expansão da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica no Estado do Rio.

OBS: AGORA NA RÁDIO CBN ALÉM DAS GAFES COMETIDAS PELO NOSSO PRESIDENTE... AS VAIAS FORAM NOTICIADAS.

quinta-feira, 5 de março de 2009

TRIBUNAL DO TRÁFICO

Depois de serem espancados por traficantes dentro da Favela da Rocinha, acabaram pegos pela polícia os quatro homens que roubaram um casal na Zona Sul do Rio, e obrigaram as duas vítimas a se jogarem do costão da Avenida Niemeyer. O empresário Marcos José e a namorada Paula Guimarães, reconheceram os presos através de fotografias. Os quatro bandidos, todos moradores da favela da Rocinha, foram identifcados como: Wilson Alves da Silva, de 19 anos, Thiago Faustino Apolinário dos Santos, de 21 anos, Alexandre dos Santos, de 19 anos, e Antônio Manoel Carvalho Ribeiro, de 33 anos.
Três deles foram encontrados por policiais do BPM do Leblon, num dos acessos à Rocinha. O outro foi localizado por policiais da Delegacia de Atendimento ao Turista quando chegava ao Hospital Miguel Couto com fraturas e um tiro em uma das mãos.

Antônio Manoel Bonfim, o Nem, chefe do tráfico da Rocinha julgou e condenou os bandidos.

BELTRAME É CONVOCADO PARA AUDIÊNCIA PÚBLICA NA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

Durante reunião extraordinária nesta quarta-feira, a Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou a convocação do secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame, para uma audiência pública na próxima terça-feira, às 9h, na sala 311 do Palácio Tiradentes. A política de segurança pública, as violações de direitos humanos e o trabalho dos policiais militares durante o carnaval serão os pontos debatidos durante o encontro. De acordo com o presidente da comissão, deputado Marcelo Freixo (PSol), a intenção é colher todas as informações possíveis sobre segurança no estado.
— Queremos saber quais são as políticas em andamento, os planejamentos, quantas mortes e violações tiveram e conhecer a estratégia da secretaria para o ano de 2009, para que possamos ter no estado uma ação mais eficaz — explicou o parlamentar. Quem sugeriu o debate sobre o trabalho dos policiais militares durante o carnaval foi o deputado Paulo Ramos (PDT), membro efetivo da comissão.
— Queremos observar a questão do chamado 'bico' dos policiais militares durante o carnaval. Nosso objetivo é saber qual a ligação do estado com a Liga das Escolas de Samba (Liesa), já que havia policiais contratados, através de uma empresa, para trabalharem na segurança, inclusive, de camarotes onde estavam autoridades — queixou-se.
Para aproveitar a vinda do secretário Beltrame, os parlamentares resolveram ampliar os temas a serem discutidos e, com isso, traçar um panorama mais completo da segurança fluminense.
http://extra.globo.com/geral/casodepolicia/post.asp?t=beltrame-convocado-para-audiencia-publica-na-assembleia-legislativa&cod_Post=165931&a=443

Campanha pede desmilitarização das polícias

fonte: http://cordeldaboladefogo.blogspot.com/2009/03/campanha-pede-desmilitarizacao-da-pm.html
Aprovada na última Conferência Nacional de Direitos Humanos, a proposta que pede o fim da vinculação das polícias militares às Forças Armadas vem recebendo o apoio de diversas organizações

A luta em favor da desmilitarização das polícias estaduais foi intensificada no final do último ano e promete continuar forte em 2009. Em dezembro do ano passado, durante a XI Conferência Nacional de Direitos Humanos, realizada em Brasília, foi aprovada uma proposta que pede o fim da vinculação das polícias militares (PMs) às Forças Armadas.
O texto, elaborado pelo Centro Santo Dias de Direitos Humanos da Arquidiocese de São Paulo, em conjunto com outras entidades da sociedade civil, virou diretriz da Política Nacional de Direitos Humanos (PNDH) e vem recebendo o apoio de diversos grupos, organizações e até mesmo de alguns setores do poder público.
O esforço das entidades, agora, está concentrado em recolher assinaturas via internet para pressionar pela aprovação da proposta, que depende de alterações na Constituição. De acordo com a petição, "a desmilitarização é um passo fundamental para a reforma estrutural das polícias em nosso país, e constitui-se um novo paradigma no trato da segurança pública".
Para assinar o documento, que será enviado à Presidência da República, à Secretaria Especial de Direitos Humanos, ao Ministério da Justiça, ao Senado e à Câmara dos Deputados, basta entrar no endereço eletrônico www.petitiononline.com/DESMILIT/.

Sociedade prejudicada
A ligação das polícias às Forças Armadas tem raízes bem antigas, mas foi durante a ditadura civil-militar, em 1964, que essa vinculação se estreitou, derrubando idéias que pretendiam desmilitarizar de vez a polícia, como um projeto do então governador de São Paulo, Jânio Quadros, na década de 1950.
O Estado chegou, inclusive, a manter por alguns meses uma comissão na Inglaterra para estudar a organização da polícia inglesa, a fim de instaurar, em São Paulo, uma polícia única e civil, com um segmento uniformizado que realizaria o trabalho nas ruas. "Essa foi uma idéia que não prosperou porque depois veio o golpe, que acabou com a Força Pública e com a Guarda Civil e criou a Polícia Militar. Então, ficou a Polícia Militar e a Civil", recorda o jurista Hélio Bicudo.
Para ele, diversos aspectos da militarização da polícia contribuem para torná-la prejudicial à segurança pública. O próprio treinamento dos policiais, segundo o jurista, é um ponto problemático. Preparados para confrontos bélicos e para lidar com o "inimigo", os PMs não estão aptos para ações junto à população. "Eles são treinados para a guerra. Então, quando eles vão à rua para os problemas da segurança pública, eles saem para a guerra. É o que acontece no Rio de Janeiro, é o que acontece em São Paulo também, na periferia".
Humilhação
Esse treinamento, que conjuga fortes regras hierárquicas e um tratamento repressor, muitas vezes humilhante, resulta, na opinião de Bicudo, em um policial mais violento nas ruas e, por conseqüência, em um aumento do número de mortes e arbitrariedades cometidas por agentes.
A tese de uma crescente aproximação entre as ações das polícias militares com as Forças Armadas foi corroborada pelo próprio ministro da Defesa, Nelson Jobim. Em 2007, ele admitiu que a experiência das tropas brasileiras no Haiti era necessária para que a polícia do Brasil adquirisse prática em operações de combate em ambientes urbanos, como as incursões nas favelas cariocas.
E são mesmo os setores mais vulneráveis da população os maiores prejudicados com esse processo, segundo Marcelo Freixo, deputado estadual (Psol-RJ) e pesquisador da organização não-governamental Justiça Global.
"Em qualquer guerra e em qualquer combate você necessita de um inimigo interno. E quem é esse inimigo? Sobre ele, sempre paira uma lógica de classe, o que não é percebida pela corporação, mas que é algo politicamente muito construído. Então, se você olhar para as principais vítimas da ação policial no Brasil, isso tem uma relação direta com uma estrutura de classe da sociedade. São, fundamentalmente, jovens, pobres, negros. Vítimas da lógica da guerra que a segurança pública precisa vencer".
Desafios
Apesar dos bons argumentos para a desvinculação das polícias estaduais do Exército, eles acabam por esbarrar nos interesses que estão por trás da militarização. O próprio jurista Hélio Bicudo foi testemunha deles. Durante seu mandato como deputado federal, na década de 1990, apresentou à Câmara um projeto para desmilitarizar e unificar as polícias.
A proposta, no entanto, não passou por uma Comissão Especial. "A PM tem um lobby muito forte no Congresso. No meu tempo, tinha até uma sala onde eles trabalhavam. Era o lobby da Polícia Militar. Como essa comissão especial era comandada por deputados ligados ao organismo, evidentemente o projeto não passou", relembra o jurista, para quem falta vontade política para reorganizar o atual sistema policial do país.
Já o subtenente Luiz Gonzaga Ribeiro, secretário-executivo da Associação Nacional de Entidades de Praças Militares Estaduais (Anaspra), aponta os interesses que as diferentes esferas do governo mantêm em uma polícia militarizada. "Os governadores e os chefes de Estado também não querem a desmilitarização porque é a força pronta para atuar em nome do governo em qualquer lugar do país. Haja visto a Força Nacional", explica o policial.
"Tem que conter um grupo de manifestantes? É a Polícia Militar. A Polícia Militar tem a doutrina e a formação do cumprimento de ordem. O governador não quer abrir mão de ter uma força que ele possa dar ordens e ela vá cumprir", avalia.
E, a esses interesses, soma-se também, além do "lobby" das organizações policiais, que não querem perder poder e influência, a pressão de setores mais conservadores da sociedade, que ganham com a manutenção da ordem social atual. "Essa ordem de classe, desigual, interessa a um setor da economia, da política, que não tem interesse de vê-la questionada por um outro modelo de segurança", explica Marcelo Freixo.
Esses desafios, na opinião de Freixo, só serão vencidos quando o controle das ações policiais for devolvido à sociedade. "O Congresso tem que fazer os debates que são caros à sociedade, não pode se furtar disso. Agora, isso depende também da pressão popular, dos movimentos colocarem isso em pauta, de fazerem esse debate nos Estados", completa.

http://www3.brasildefato.com.br/v01/agencia/nacional/campanha-pede-desmilitarizacao-das-policias

quarta-feira, 4 de março de 2009

Lapa amanhece com cartazes contra Paes e Choque de Ordem

A operação Choque de Ordem estourou um depósito clandestino usado por ambulantes no Largo da Lapa, na manhã desta quarta-feira. Pelo menos seis caminhões da Comlurb já foram cheios com carrocinhas, isopores e alimentos apreendidos. Ao chegarem ao local, por volta das 8h, os fiscais foram supreendidos com cartazes com os dizeres "Paes não traz paz" e "Choque de Ordem é extermínio de pobres", colados nos poste e muros próximo ao depósito, ao lado da Sala Cecília Meireles.
fonte JB

terça-feira, 3 de março de 2009

CONSELHEIROS NA MIRA DA CPI

Foi instalada ontem na ALERJ uma CPI para investigar denúncias contra os conselheiros José Graciosa e José Nader, do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE). Foi pedida a quebra dos sigilos bancário, telefônico e fiscal de pelo menos 17 pessoas e de sete empresas, ligadas aos suspeitos. A autora do projeto que criou a CPI e presidente da comissão, é a deputada Cidinha Campos do PDT.
Graciosa e Nader estão sendo investigados pela Operação Pasárgada, da Polícia Federal, que averigua o envolvimento de autoridades em desvios de recursos de prefeituras de Minas e do Rio. Nader está sendo acusado de peculato (corrupção cometida por servidor público), advocacia administrativa e formação de quadrilha. Graciosa é suspeito de corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e formação de quadrilha.
Além da deputada Cidinha Campos compõem a CPI o deputado João Pedro (DEM), como relator, e os deputados André Corrêa (PPS), Marcelo Freixo (PSol) e Caetano Amado (PR) como membros efetivos. Paulo Ramos (PDT) e Renato de Jesus (PMDB) são os suplentes.